CGD avança com despedimento colectivo em Espanha

O grupo Caixa Geral de Depósitos (CGD) vai avançar com um despedimento colectivo em Espanha.

Em carta enviada à comissão de trabalhadores do Banco Caixa Geral, a que o SOL teve acesso, a administração informa "de modo irrefutável a intenção da empresa iniciar o processo de despedimento colectivo, procedimento que afectará a totalidade dos centros da empresa".

A carta, datada de 3 de Outubro e assinada pelo director de Recursos Humanos, Pedro Clemente Mateo, pede que seja constituída uma comissão representativa dos trabalhadores para dialogar com a administração da empresa, de acordo com as regras das leis laborais.

O banco acrescenta ainda que abre, "ao mesmo tempo, um período informal de duração limitada no tempo antes de abordar os processos de reestruturação de carácter colectivo". Por isso, amanhã de manhã, realiza-se, num hotel em Madrid, uma reunião para, como diz a carta, "dar cumprimento ao objectivo citado".

Fonte oficial da CGD, afirmou ao SOL que se "trata de uma obrigação legal que decorre do processo de reestruturação do Banco Caixa Geral em Espanha, consequência do processo de reestruturação da CGD, ao abrigo de ajuda de Estado".

Segundo dados da comissão de trabalhadores, até ao final de 2012, 98 trabalhadores pediram a pré-reforma, 71 rescisões amigáveis e sete suspensões de contrato. Nessa altura, a administração do Banco Caixa Geral dizia que o objectivo era reduzir 176 postos de trabalho, o que representava 18% dos trabalhadores de Espanha.

Segundo os planos da Caixa Geral, a província onde seriam encerrados mais balcões é a Galiza (11), seguindo-se Estremadura (12) e Castilla y Léon (5).

Em 2012, a CGD anunciou que iria fechar 36 balcões em Espanha e despedir até 135 trabalhadores.

 

fonte:http://sol.sapo.pt/i

publicado por adm às 22:58 | comentar | favorito
tags: