BES deverá apresentar prejuízos superiores a 470 milhões

O BES fecha amanhã, após o final da negociação do mercado, a época de apresentação de resultados de 2013 da banca privada em Portugal. De acordo com as estimativas dos analistas, a instituição financeira liderada por Ricardo Salgado deverá ter passado de lucros a prejuízos superiores a 470 milhões de euros no espaço de um ano.

Segundo a média das previsões de quatro casas de investimento, compiladas pelo Dinheiro Vivo, o BES terá fechado o ano passado com prejuízos de 476 milhões de euros. O montante representa uma inversão face aos lucros de 96,1 milhões arrecadados em 2012.

A penalizar as contas do banco terá estado a queda da margem financeira, ou seja a diferença entre os juros cobrados no crédito e os juros pagos nos depósitos, que de acordo com média dos analistas terá recuado 11% para os 1,06 mil milhões de euros face aos homólogos 1,18 mil milhões.

"As comissões deverão apresentar uma descida de 6,7% em base trimestral para 169,4 milhões de euros (efeito de sazonalidade com menor volume de transações)", refere o Caixa BI.

A casa de investimento estima ainda que "as imparidades para crédito ascendam a 235,7 milhões de euros no quarto trimestre de 2013 (+4,1% que os 226 milhões de euros do terceiro trimestre de 2013". "Antecipamos ainda que o banco registe provisões para 'outros ativos' de 115,2 milhões de euros (95 milhões de euros no terceiro trimestre 2013), nomeadamente para reforço das taxas de cobertura dos imóveis recebidos como recuperação de crédito", salienta.

Já o BPI sublinha que "os resultados deverão continuar em terreno negativo, conduzidos pela deterioração da qualidade de ativos e pelos esforços em melhorar os níveis de desalavancagem".

Além de estimar um aumento trimestral de 8% das provisões, o banco de investimento espera ainda uma quebra da margem financeira de 4% no trimestre "devido à redução trimestral de 8% na operação internacional depois da excelente performance da unidade angolana no terceiro trimestre".

No caso do KBW, os analistas chamam a atenção para os ganhos de trading que "deverão beneficiar com um ganho de cerca de 35 milhões de euros com a venda da participação na EDP e com a evolução positiva das obrigações e das ações nacionais no quarto trimestre do ano passado".

fonte:http://www.dinheirovivo.pt/

publicado por adm às 21:48 | comentar | favorito
tags: