Montepio fecha 2013 com prejuízos de 299 milhões

O Montepio fechou as contas do último ano com prejuízos de 298,6 milhões de euros, o primeiro resultado negativo da instituição em, pelo menos, uma década. Reforço de imparidade e provisões disparou por indicação do regulador.

 

Em Portugal os prejuízos 311 milhões de euros, que foram parcialmente compensados pelos 12,3 milhões de euros de lucros da actividade internacional. O resultado operacional do banco caiu 46,7% em 2013, para 37,6 milhões de euros, a reflectir uma quebra de 20% na margem financeira, enquanto o produto bancário diminuiu 12,3%, para 377,7 milhões de euros. O resultado operacional positivo do Montepio foi no entanto anulado pela constituição de provisões no valor de 372 milhões de euros, mais do dobro do registado em 2012.

Segundo o Relatório e Contas da instituição, o aumento das provisões e imparidades para risco de crédito cifraram-se em 127,5 milhões de euros (+74,4%), em 2013, a que se junta o aumento de provisões e imparidades associadas a outros activos, essencialmente imóveis detidos para negociação e propriedades de investimento. Um reforço que teve origem nas inspecções transversais ao sector bancário promovidas pelo Banco de Portugal, e que incluíram ainda uma revisão das metodologias de cálculo de imparidade utilizadas pelo banco.

O rácio de crédito em incumprimento aumentou de 6,3% para 7,1%, e o crédito em risco atingiu os 12,2%.

O crédito total a clientes diminuiu 1,5%, enquanto a base de depósitos aumentou 7,1%.

O Montepio fecha 2013 com um rácio de solvabilidade de 13,03%, abaixo dos 13,58% atingidos no período homólogo, melhorando no entanto o rácio Core Tier I, de 10,6% para 11%.

fonte:http://economico.sapo.pt/n

publicado por adm às 22:35 | comentar | favorito
tags: