BPI duplica provisões para imparidades de crédito

Os lucros do Banco BPI até setembro foram afetados pela subida homóloga de 98,1% das provisões para imparidades de crédito, que ascenderam a 213,4 milhões de euros devido à crise económica, revelou esta quarta-feira o presidente Fernando Ulrich.

Há um ano, o banco tinha 107,7 milhões de euros para fazer face às imparidades de crédito, contudo, com a degradação da situação económica, durante os primeiros nove meses do ano, estas provisões foram reforçadas em 105,7 milhões de euros, para o total de 213,4 milhões de euros.

«São quase todas provisões para crédito», frisou Fernando Ulrich, durante a conferência de imprensa de apresentação de resultados do BPI, em Lisboa, especificando que «as evoluções negativas são sobretudo de crédito a empresas e também na habitação, mas em valores normais e comportáveis», cita a Lusa.

Questionado sobre os lucros de 117,1 milhões de euros obtidos entre janeiro e setembro, mais 15,3% do que no mesmo período de 2011, Ulrich realçou que «há um aspeto negativo, que é um aumento muito significativo imparidades para crédito, fruto da situação económica do país».

Para a frente, o gestor considera que «é natural que o número de imparidades aumente no quarto trimestre, mas não deverá ser muito».

E acrescentou: «O futuro o dirá. Admitimos que, em 2013, os valores possam começar a melhorar».

Fernando Ulrich também salientou que «a margem financeira foi afetada muito negativamente pela baixa da Euribor» e que «outro fator que pesa negativamente na margem financeira é a subida dos custos de financimaneto, nomeadamente nos depósitos a prazo».

De acordo com o mesmo responsável, o BPI tem 152 milhões de euros em imóveis, resultantes de processos de recuperação de crédito, e, para fazer face à eventual desvalorização dos mesmos, constituiu uma provisão de 59 milhões de euros.

Pela positiva, o banqueiro apontou para os ganhos em operações financeiras, envolvendo, entre outros, títulos de dívida pública portuguesa.

«Houve um elemento muito positivo que compensa as imparidades para crédito, que foram os ganhos em operações financeiras», assinalou.

Segundo o Ulrich, o banco que lidera aproveitou para comprar dívida portuguesa «com grandes descontos» e estas operações traduziram-se num lucro que aparece registado nas operações financeiras (aumento de 46,2% para 222 milhões de euros).

Como «o segredo é a alma do negócio», Ulrich escusou-se a divulgar os valores em causa, apontando para outros itens que contribuiram para os lucros do BPI, nomeadamente, o contributo positivo das comissões e a redução de custos.

fonte;http://www.agenciafinanceira.iol.pt/

publicado por adm às 23:06 | comentar | favorito