Lucro do Santander Totta dispara 282%

O lucro do Santander Totta disparou 282% face aos primeiros nove meses do ano passado. 

O banco alcançou um resultado de 230,4 milhões de euros até setembro, que compara com os 60,2 milhões de 2011.

Números que reforçam «a solidez do banco», segundo um comunicado da instituição que é citado pela Lusa.

O presidente do banco garantiu entretanto em conferência de imprensa que o Santander Totta está «cada vez mais preparado para o futuro, e estes resultados [lucro de 230,4 milhões de euros entre janeiro e setembro] já o mostram».

O objetivo da entidade é «dar a melhor resposta possível a todos os agentes económicos do país» face à crise.

Sobre o Orçamento do Estado para 2013, disse que vai ter«grandes problemas de execução»

Questionado pelos jornalistas sobre a sua opinião sobre a denominada taxa Tobim, isto é, a taxação das transações financeiras, Vieira Monteiro disse que não concorda com a mesma.

O banco de capitais espanhóis obteve uma margem financeira de 427,9 milhões de euros, representando uma queda de 2% em relação aos primeiros nove meses de 2011, sendo que as comissões líquidas atingiram os 248 milhões de euros, menos 5,1%, atribuível «ao comportamento das comissões de GBM (Global Banking and Markets), fundos de investimento e seguros».

A instituição financeira liderada por António Vieira Monteiro fixou um rácio de Core Capital (índice de solvabilidade) de 12,0%, «a um nível muito acima do mínimo exigido pelo Banco de Portugal para o final de 2012, e sem necessidade de recurso a qualquer tipo de aumento de capital, público ou privado», enquanto o rácioTier I atingiu 13,0%.

O Santander Totta refere também que continua a reforçar a carteira de ativos elegíveis como garantia nas operações de financiamento junto do Eurosistema, «que no final de setembro ascendeu a 14,3 mil milhões de euros», atingindo um financiamento líquido junto do Eurosistema de 6,6 mil milhões de euros.

Em relação ao rácio entre crédito e depósitos houve uma melhoria de 10,4 pontos percentuais, ao «registar uma redução para 134,5% no final de setembro, já abaixo do objetivo fixado para o final de 2012».

O banco refere que os depósitos subiram, em termos homólogos, 5,8% (+8,4% na atividade bancária) «e com crescimentos sustentados nos primeiros nove meses do ano».

Por seu turno, a carteira de crédito totalizou 28,4 mil milhões de euros, no final de setembro, sendo que o total de imparidades e provisões líquidas evoluiu para 363,3 milhões de euros, «um reforço enquadrado na política conservadora e prudente da gestão de risco do banco».

O lucro da casa mãe, o banco Santander, caiu 66% no mesmo período.

fonte:_http://www.agenciafinanceira.iol.pt/f

publicado por adm às 22:04 | comentar | favorito