Governo limita movimentos a maiores accionistas do Banif

Limite é de meio milhão de euros. Há duas sociedades abrangidas pela decisão, publicada na quinta-feira à noite, que se aplica até 30 de Junho. A menos que o ministro das Finanças decida em contrário.

Os accionistas com mais de 2% de capital social do Banif ficam proibidos de fazer levantamentos de depósitos superiores a 500 mil euros sem autorização do Banco de Portugal. É uma das regras a que ficam sujeitos depois de o Estado ter injectado 1.100 milhões de euros dos contribuintes. 

O despacho do ministro das Finanças foi publicado na quinta-feira à noite em Diário da República. A intervenção do Estado deve terminar até Janeiro de 2018, enquanto o Estado detiver capital do Banif. 

A restrição ao levantamento de depósitos aplica-se até 30 de Junho, mas pode ser prolongada por mais tempo se o ministro das Finanças decidir. 

Neste caso, encontram-se duas sociedades: a Rentipar e Auto-industrial. 

O Governo fica com o poder de nomear um membro não executivo da administração e outro do conselho fiscal. 

Enquanto durar a intervenção, o Banif fica proibido de financiar quaisquer operações de fusão ou aquisição de empresas do sector financeiro, sendo que o ministro das Finanças pode limitar a aplicação de dinheiro do banco a todas as actividades que não correspondam à concessão de crédito. 

De resto, o financiamento das pequenas e médias empresas (PME) é um dos objectivos do Governo. O Banif tem de aplicar 10 milhões de euros por ano num fundo para investir nas PME. 

A recapitalização do BANIF foi aprovada no último dia do ano passado.

fonte:http://rr.sapo.pt/i

publicado por adm às 22:28 | comentar | favorito