Menos comissões para bancos, mais juros para clientes

Presidente da Associação Portuguesa de Bancos critica proposta socialista de uniformizar e estabelecer tecto máximo para comissões cobradas pela banca. “Prejudica a economia, o emprego e o consumidor”.


Se as comissões descerem, aumentam os juros. Os consumidores serão sempre penalizados, alerta o presidente da Associação Portuguesa de Bancos. Faria de Oliveira criticou esta tarde, no Parlamento, a proposta do PS de uniformizar as comissões e os encargos bancários. 

Aos deputados, o ex-presidente da Caixa Geral de Depósitos explica que “ao fixar administrativamente um plafond para as comissões, este tenderá a aproximar-se ao máximo e diminui a concorrência entre os bancos”. 

“Tendo os bancos que cobrir custos”, acrescenta, “poderá haver necessidade de transferência desta receita para a margem financeira, aumentando a taxa de juro das operações activas o que prejudica a economia, o emprego e o consumidor”. 

Faria de Oliveira, ouvido na comissão de Orçamento, lembra ainda que as comissões em Portugal “encontram-se alinhadas com as médias europeias ou francamente abaixo”. 

O presidente da Associação Portuguesa de Bancos lembra ainda que a redução das comissões já tinha sido abordada na anterior legislatura, e acabou por ser retirada. 

Se o diploma do PS for aprovado, o Banco de Portugal terá de uniformizar as comissões e os encargos bancários, estipulando valores máximos.

fonte:http://rr.sapo.pt/inf

publicado por adm às 22:48 | favorito