Horta Osório nomeado banqueiro do ano a nível mundial

António Horta Osório, presidente-executivo do Lloyds Banking Group, foi nomeado banqueiro do ano na cerimónia anual dos Euromoney Awards for Excellence. No mesmo evento, o Lloyds foi nomeado o melhor banco.

Horta Osório foi reconhecido pelos Euromoney Awards for Excellence como o banqueiro do ano a nível mundial, uma decisão que, segundo a organização, se deveu aos seus esforços para restaurar a rentabilidade do Lloyds ao longo dos últimos dois anos.

 

“Decisões difíceis tomadas em alturas críticas ajudaram a reanimar as fortunas do Lloyds Banking Group. Agora António Horta Osório poderá concentrar-se em fazer o máximo pelo maior banco do Reino Unido”, segundo afirmou o porta-voz do Euromoney.

 

Em particular, o Euromoney avaliou o desempenho de Horta Osório pela sua capacidade de reduzir activos não essenciais que não se encaixavam no novo modelo do Lloyds, e por tê-lo feito num contexto de crise. Sugere também que as recentes declarações, que dão conta de que o Lloyds poderá voltar à esfera privada, são reflexo da revitalização levada a cabo pelo banqueiro português.

 

Na nomeação do Lloyds como melhor banco, o painel do Euromoney elogiou os seus esforços no apoio à economia britânica, em particular nas hipotecas, dado que o banco apoia um em cada quatro novos compradores, e o crescimento dos empréstimos às PME em 4% face a uma contracção de mercado de 4%. Louvou ainda o relançamento do Halifax como uma marca bancária líder no Reino Unido.

 

Horta Osório comentou a decisão, dizendo que se sente “honrado por ter ganho este prestigioso prémio. É um testemunho do trabalho árduo realizado pelas equipas presentes no negócio que apoiam a estratégia de transformar o banco num simples negócio focado no cliente, de baixo risco, que está a dar benefícios a todos os que fazem parte dele”.

 

Sir Win Bischoff, presidente do conselho de administração do Lloyds afirmou que “este prémio é um reconhecimento do que o António [Horta Osório] e a sua equipa conseguiram ao restabelecer o nome e o negócio do Lloyds. Antecipámos que o nosso plano estratégico para transformar o negócio iria demorar três a cinco anos mas, dois anos depois do António o lançar, estamos adiantados nos prazos e a fazer progressos substanciais em todos os aspectos da estratégia. O banco está de regresso à rentabilidade o que irá permitir que apoie negócios, famílias e comunidades”.

 

Já este ano, António Horta Osório foi eleito o 24º melhor CEO da Europa pelo Thomson Reuters Extel Survey.

 

Nos últimos 12 meses, o banco liderado pelo português é aquele que revela o melhor desempenho na Europa, e o único que duplicou o seu valor, segundo os índices da Bloomberg e do Dow Jones para a banca.

 

Contudo, e face aos resultados positivos do banco no último ano, o “The Times” avançou que o ministro da Finanças britânico deverá anunciar num futuro muito próximo a venda dos 39% de acções que o Estado detém no Lloyds, oferecendo aos contribuintes a possibilidade de comprarem as acções com um desconto face ao preço de mercado.

fonte:http://www.jornaldenegocios.pt/

publicado por adm às 21:40 | comentar | favorito