Banca portuguesa deve privilegiar venda de activos

Para António de Sousa os bancos portugueses vão privilegiar venda de activos para reforçar os seus rácios de capital.

Em entrevista à agência Bloomberg, António de Sousa, presidente da Associação Portuguesa de Bancos (APB), disse não antecipar mais aumentos de capital na banca portuguesa. Para o responsável o cenário mais provável é a venda de activos para reforçar a solidez financeira das instituições em resposta às exigências da ‘troika' e do Banco de Portugal.

"Não penso que os accionistas sejam chamados para aumentar o capital. Talvez numa porção muito baixa", disse o presidente da APB e antigo governador do Banco de Portugal.

Na sexta-feira passada, a Autoridade Bancária Europeia (EBA) divulgou os resultados dos testes de stress à banca europeia.

No caso dos bancos portugueses, todas as instituições analisadas (Caixa, BES, BCP, BPI e ESFG) passaram nos testes de stress, embora com notas diferentes.
O BCP e o ESFG tiveram as notas mais baixas. O banco liderado por Carlos Santos Ferreira obteve um rácio ‘core tier 1' de 5,4% e a ESFG conseguiu 5,8%. O mínimo exigido era de 5%.

Em consequência, o Banco de Portugal impôs ao BCP e à ESFG medidas de recapitalização - como aumento de capital e alienação de activos - de modo a subir o rácio, nos próximos três meses, para o valor mínimo de 6%.

Algumas dessas medidas já fora contudo adoptadas pelas instituições, entre 30 de Abril e a sexta-feira passada, data da divulgação dos testes.

fonte:http://economico.sapo.pt/

 

publicado por adm às 21:31 | favorito
tags: