A entrega dos fundos da banca em quatro passos

A transferência dos fundos da banca para a Segurança Social permite criar uma almofada financeira.

A passagem dos fundos da banca para a Segurança Social permitirá ao Estado encaixar até 12,4 mil milhões de euros ao longo dos próximos anos.

1 - O que ganha o Estado com a entrega dos fundos?
O Estado deverá receber até 12,4 mil milhões de euros em activos dos fundos dos cinco principais bancos (Caixa, BCP, BES, BPI e Totta), sendo que este valor deverá ser ainda mais alto se incluídos os fundos do BPN e do Montepio. Este montante, que será transferido ao longo dos próximos anos, constitui uma ‘almofada' para o Tesouro. No entanto, o Estado terá de assumir responsabilidades avaliadas em 12,3 mil milhões de euros, com as reformas de 83 mil pessoas (nos cinco maiores bancos). Se estes números estiverem correctos, o grau de cobertura dos fundos é de 102%.

2 - Será feita uma avaliação dos activos e das responsabilidades?
Sim, o processo negocial que terá início em Setembro - entre o Governo e a Associação Portuguesa de Bancos (APB), implicará uma avaliação independente das responsabilidades com pensões e dos activos que constituem a carteira dos fundos.

3 - Os bancos poderão ter de injectar capital nos fundos?
Sim, se da avaliação resultar uma alteração da taxa de desconto, se se verificar que os restantes pressupostos dos fundos (tábuas de mortalidade, etc) forem alterados ou se se constatar que os activos não têm o valor que os bancos lhes atribuem actualmente.

4 - Os bancos têm de aceitar a entrega dos fundos?
Não, e só deverão concordar se não forem prejudicados.

fonte:http://economico.sapo.pt/

publicado por adm às 23:24 | comentar | favorito