Banca reforça depósitos à custa dos fundos e PPR

A transferência está a ser incentivada pela banca que, assim, ganha liquidez, mas prejudica as seguradoras.

Os bancos nacionais estão a incentivar os seus clientes a transferirem os montantes aplicados em fundos de investimento e Planos Poupança Reforma (PPR) para depósitos a prazo. No espaço de um ano, os cinco grandes bancos portugueses canalizaram para depósitos até seis mil milhões de euros de aplicações dos seus clientes, revelam os relatórios e contas do primeiro semestre.

Segundo as contas da Caixa Geral de Depósitos (CGD), Millennium BCP, Banco Espírito Santo (BES), BPI e Santander Totta, no final de Junho os depósitos ascendiam a 178,3 mil milhões de euros, mais 16 mil milhões que um ano antes. Já os recursos de desintermediação e fora de balanço - rubricas que incluem fundos de investimento, PPR e outras aplicações dos clientes - diminuíram em 6,3 mil milhões de euros face ao primeiro semestre do ano passado, para um total de 92 mil milhões de euros.

Não é possível quantificar de forma exacta quanto desta descida superior a seis mil milhões de euros corresponde a verbas canalizadas para depósitos a prazo, mas as fontes do sector contactadas pelo Diário Económico consideram que a estratégia de captação de liquidez dos bancos é o principal factor a ter em conta. Só em seguros PPR o montante poderá ascender a quase 900 milhões de euros, segundo os últimos dados revelados pelo Instituto de Seguros de Portugal (ISP). 

fonte:http://economico.sapo.pt/

publicado por adm às 16:29 | comentar | favorito