Banca volta a reduzir as avaliações das casas

Há um ano que os valores das avaliações bancárias estão a cair. Os últimos dados, referentes a Setembro, voltam a revelar quebras para valores mínimos. Lisboa e Alentejo são as regiões onde as descidas são mais pronunciadas. Já a Região Autónoma da Madeira continua a destacar-se, com os valores das avaliações a subirem.

O valor médio da avaliação bancária dos imóveis desceu 3,2% para 1.104 euros por metro quadrado, em Setembro quando comparado com o mesmo período do ano passado. Os preços das avaliações bancárias estão a cair há um ano, de acordo com os dados hoje divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). 

Já face ao mês anterior, a queda foi de 0,1%, o que corresponde à menor descida desde que os valores começaram a cair (Maio).

A região do Alentejo foi protagonista da maior queda homóloga, ao registar uma descida de 5% para um valor médio de 1.003 euros. A segunda que maior descida observou foi a de Lisboa (-4,6%).

Do lado contrário, esteve apenas a Região Autónoma da Madeira, onde os valores da avaliação bancária verificaram um acréscimo de 4%, em termos homólogos. Esta é também a região com o preço por metro quadrado mais elevado de Portugal (1.462 euros).

Em cadeira, houve mais regiões a registar aumentos nas avaliações bancárias: Centro, Lisboa, Algarve e Madeira.

Os valores concedidos na avaliação bancária são determinantes para quem quer comprar casa. É com base neste valor que se define o montante que o banco empresta. E actualmente, as instituições emprestam até 80% da avaliação. Ou seja, se o imóvel em questão for avaliado em 100 mil euros, no máximo, os bancos financiam 80 mil euros. O que pode significar que um cliente tenha de pagar uma entrada significativa ou deixar cair o negócio.
fonte:http://www.jornaldenegocios.pt/
publicado por adm às 00:04 | comentar | favorito