BES precisa de 188 milhões de euros para reforço de capital

De acordo com a EBA as necessidades do BES a 30 de Setembro fixavam-se em 810 milhões de euros, mas BES diz que valor foi colmatado pela oferta pública de troca de valores mobiliários que registou um reforço de 622 milhões.

O Banco Espírito Santo (BES) anunciou hoje que as suas necessidades de reforço de capital, em Dezembro, eram de 188 milhões de euros, na sequência do aumento de capital terminado na semana passada.

De acordo com os resultados divulgados hoje pela Autoridade Bancária Europeia (EBA, no original), as necessidades do BES a 30 de Setembro fixavam-se em 810 milhões de euros, um valor que terá sido colmatado pela oferta pública de troca de valores mobiliários que registou um reforço de 622 milhões.

Por seu lado, o Espírito Santo Financial Group (ESFG) necessitava, a 30 de Setembro, de um total de 1.597 milhões de euros para fazer face aos objetivos definidos pela EBA e que têm que ser cumpridos até junho de 2012.

Na semana passada, o administrador do BES Amílcar Morais Pires disse que o objectivo de atingir os 9% do rácio 'Core Tier 1' "está cumprido" com a operação e que o banco "vai manter-se independente e sem a ajuda do Estado".

"Esta operação gerou um efeito positivo no rácio de 'Core Tier I' do banco de 93 pontos base, considerando os ativos ponderados pelo risco de 66,7 mil milhões de euros em 30 de Setembro de 2011", explica a instituição liderada por Ricardo Salgado em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Os bancos portugueses precisam de um total de 6.950 milhões de euros para reforçarem os seus níveis de capital, de acordo com os critérios estabelecidos pela Autoridade Bancária Europeia (EBA), que hoje divulgou estes números.

Estes valores são inferiores em 854 milhões de euros aos montantes divulgados pela EBA aquando do exercício publicado a 26 de Outubro. Segundo o comunicado da EBA, estes valores têm como objectivo "reassegurar os mercados acerca da capacidade dos bancos de resistir a uma gama de choques, ao mesmo tempo que mantêm um capital adequado".

"Para os bancos portugueses participantes, o exercício aponta para necessidades de reforço do capital 'Core Tier' 1 de 3,718 mil milhões de euros resultantes da avaliação a preços de mercado das exposições a dívida soberana", revelou o Banco de Portugal em comunicado simultâneo, valor ao qual acrescem "ainda necessidades de reforço de capital no valor de 3,232 mil milhões de euros para o objetivo fixado pela EBA de um rácio de 'Core Tier' 1 de 9%".

Segundo lembrou hoje o Banco de Portugal, até 20 de Janeiro de 2012, as instituições deverão apresentar ao banco central "planos de capitalização onde detalhem a forma de dar cumprimento, até final de Junho de 2012, às necessidades de reforço de capital identificadas".

fonte:http://economico.sapo.pt/

publicado por adm às 19:35 | favorito
tags: