Banif precisa de reforçar imparidades em 90 milhões

O Banif precisa de reforçar as provisões relativas a imparidades relacionadas com risco de crédito no valor de 90 milhões de euros, concluiu a inspecção levada a cabo sobre os bancos portugueses, exigida pela troika. 

O Banco de Portugal divulgou hoje os primeiros resultados globais do Programa Especial de Inspecções (SIP) e concluiu «existir necessidade de reforço de 90 milhões de euros no valor da imparidade registada nas contas consolidadas do Grupo». 

Este montante corresponde a 0,8% do montante global dos créditos analisados e a 15,7% do valor da imparidade da carteira abrangida pela análise.

No entanto, o banco anuncia que, até 30 de Setembro de 2011, tinham já sido reforçadas extraordinariamente as imparidades em cerca de 20 milhões de euros. 

«Até ao final do ano, estão em curso iniciativas que permitirão atenuar o impacto da diferença apurada, designadamente, pela regularização ou reforço de garantias de uma parte significativa dos montantes das operações avaliadas. No final do presente exercício, o Grupo planeia efectuar a necessária dotação de imparidade que permita colmatar a necessidade de reforço remanescente», refere em comunicado.

O exercício incidiu sobre créditos no valor de 11,9 mil milhões de euros, cobrindo 96% do total da carteira de crédito do Banif - Grupo Financeiro. 

O impacto agregado destes resultados na avaliação da solvabilidade do grupo, a 30 de
Junho de 2011, tendo em conta a almofada prudencial1 existente à data, é nulo, mantendo-se o rácio de Tier 1 em 7,2%.

No contexto do SIP, foi também apurada a necessidade de efectuar correcções pontuais aos valores dos activos ponderados pelo risco, que implicariam um aumento de 0,3% no montante total calculado para aquela data. Refira-se, contudo, que as alterações regulamentares aplicáveis após a data de referência do SIP, em especial a entrada em vigor, no final de 2011, das alterações introduzidas pela legislação comunitária (CRD III), irão implicar uma redução do valor dos activos ponderados pelo risco, equivalente a 1,4% tendo por base os dados de 30 de Junho de 2011. 

Tendo sido identificadas algumas oportunidades de melhoria em matéria de políticas e procedimentos seguidos na gestão do risco de crédito, o Banif - Grupo Financeiro irá estabelecer e apresentar ao Banco de Portugal um plano para a implementação a curto prazo das situações que ainda subsistam.

As alterações regulamentares acima referidas, aplicáveis ao cálculo dos activos ponderados pelo risco, traduzir-se-ão numa melhoria do rácio Tier 1 em 0,1 pontos percentuais.

fonte:_http://www.agenciafinanceira.iol.pt/

publicado por adm às 23:39 | favorito
tags: