CGD tira fundos da Madeira: "Nem tudo irá para as Ilhas Caimão"

A Caixa Geral de Depósitos vai encerrar no final deste ano a sua Sucursal Financeira Exterior (SFE) da Madeira. Os clientes serão transferidos para outras unidades do grupo Caixa, entre as quais, a das Ilhas Caimão.

O fim de alguns benefícios fiscais de que aquela zona usufrua, nomeadamente o fim da isenção de IRC e a tributação dos juros nas contas dos não-residentes a 21,5% por cento são apontados pelo banco do Estado como a justificação para esta medida, segundo confirmou o banco estatal ao Dinheiro Vivo.

“Face à alteração do regime legal que enquadra a actividade do sector financeiro da Zona Franca da Madeira, a CGD decidiu encerrar, no final do ano, a Sucursal Financeira Exterior da Madeira e transferir a actividade e respectivos clientes para outras Unidades do Grupo CGD”, explicou ao Dinheiro Vivo, fonte oficial da Caixa. 

A mesma fonte do banco estatal reforçou ainda que nem todos serão transferidos para as Ilhas Caimão mas serão antes distribuídos por várias unidades.

Segundo já tinha avançado o Jornal Público, há umas semanas, a Caixa terá informado os seus clientes residentes no estrangeiro, através de uma circular, que as respectivas contas que actualmente possuem na SEF da Madeira serão transferidas para a Sucursal Caimão, caso aqueles não se oponham expressamente à concretização desta mudança.

O banco terá ainda informado os clientes que independentemente da unidade do grupo para onde venham a ser transferidas as contas, mantêm-se as condições contratuais actualmente em vigor quanto à titularidade, condições de movimentação, taxa de remuneração, cálculo e pagamento de juros, isenção de tributação sobre os juros, comissões e despesas e data de vencimento. Deixam apenas de ficar abrangidas pelo Fundo de Garantia de Depósitos, alterando-se o regime fiscal aplicável, com a tributação dos juros em sede do IRS/IRC.

fonte:http://www.dinheirovivo.pt/

publicado por adm às 23:08 | favorito