Vantagens e riscos de ter uma conta ordenado

Domiciliar o seu ordenado permite poupar alguns euros com as despesas de gestão de conta ou até garantir uma remuneração do dinheiro à ordem. Contudo, há também riscos, se for "tentado" pela possibilidade de descoberto

 

2012 já começou e com ele veio a certeza de que não será uma ano fácil. Mais do que nunca, a gestão do seu dia-a-dia será uma preocupação constante. E os bancos portugueses oferecem-lhe soluções para melhor conseguir fazer essa gestão. Os produtos mais vulgares são as contas ordenado. 

Negócios apresenta-lhe as soluções ordenado das cinco principais instituições financeiras nacionais. É mencionada uma conta por cada instituição. No entanto, algumas apresentam outros produtos com montantes mínimos de adesão mais elevados. 

Através destas contas, os clientes podem ter acesso a um descoberto autorizado. Ou seja, estas contas vocacionadas para a domiciliação do vencimento ou reforma permitem-lhe, assim, antecipar o valor do ordenado na totalidade ou em parte. Mas o mais importante é que esta condição acarretará um custo que a sua carteira pode não conseguir suportar. 

Os juros cobrados pelas cinco principais instituições financeiras nacionais pelo referido descoberto autorizado oscilam entre os 11,8% e os 19,8%. A esta TAEG acresce ainda a cobrança do imposto de selo. Por exemplo, no caso da conta Vantagem ordenado do Millennium BCP, pode solicitar a antecipação da totalidade do seu ordenado. No caso do valor mínimo de 500 euros, o cliente pagaria 6,67 euros de juros (TAEG de 18%) mais 0,27 euros de imposto de selo (4%). No entanto, as condições do descoberto autorizado variam de instituição para instituição e requerem aprovação prévia. 

"Estas contas são também produtos de crédito, pelo que é essencial que os clientes percebam como elas funcionam e quais são os custos associados", explicou ao Negócios Vinay Pranjivan. O economista da "Dinheiro e Direitos" da DECO/Proteste sublinhou que as taxas de juro aqui aplicadas podem ser consideras altas. "Se puder evitar, evite [a utilização da linha de crédito]. Só interessa fazê-lo quando se consegue ter a certeza de que o vai fazer por poucos dias", ressalvou Vinay Pranjivan. 

Para além desta característica, as contas ordenados são vulgarmente conhecidas pelo facto de oferecerem a isenção da cobrança de comissões de manutenção e também de transferências nacionais e anuidades dos cartões de débito. Em alguns casos, pode também beneficiar de bonificações no acesso ao crédito à habitação, pessoal ou outros. 

Algumas destas contas são remuneradas através do pagamento de juros. Esta remuneração é, contudo, relativamente baixa, em torno dos 0,2%. E, na maior parte dos casos, apenas há lugar ao pagamento de juros quando o saldo da conta supera os mil euros ou os 12.500 euros. 

Estas contas têm sido alvo de algumas alterações à legislação. Em 2008, os bancos passaram a ser obrigados a excluir do saldo disponível o valor do "plafond" de crédito que disponibilizavam aos clientes que possuíam conta-ordenado, podendo apenas constar do saldo o montante disponível na conta.






Contas ordenado dos maiores bancos

As contas ordenado disponibilizadas pelos bancos apresentam várias vantagens, nomeadamente a insenção de comissões de manutenção e transferências. Em alguns casos, podem até ser remuneradas. E uma das duas principais características prende-se com a possibilidade de aceder a um descoberto autorizado no valor do ordenado ou pensão domiciliado. No entanto, neste caso, terá de pagar uma TAEG entre 11,8% e 19,8%, bem como o imposto de selo. 










Seguros Proteger o ordenado em caso de desemprego

Além das contas vocacionadas para a domiciliação dos ordenados, as instituições financeiras nacionais começam também a disponibilizar soluções destinadas à sua protecção. Numa altura em que a taxa de desemprego tem vindo a atingir níveis historicamente elevados, pode já subscrever um seguro para garantir parte do seu vencimento, caso seja despedido ou se depare com uma situação de incapacidade temporária. 

São três os bancos que vendem seguros de protecção ordenado. As condições variam de instituição para instituição, nomeadamente no que diz respeito ao período do seguro e à percentagem do vencimento que é reembolsada. É, contudo, necessário que o seu ordenado esteja domiciliado no banco em questão. 

O Plano Protecção Ordenado do Santander Totta requer o pagamento de um prémio mensal no valor de sete euros. Vigora durante cinco anos e abrange desemprego involuntário, incapacidade temporária absoluta e morte. Neste caso, o banco reembolsa 25% do último ordenado que recebeu, durante 12 meses, até um máximo de 625 euros por mês. 

Já o BES apresenta três modalidades deste tipo de seguros: salário "standard", salário maxi e conta própria. As principais distinções assentam no valor do vencimento e na situação laboral, consoante seja por conta de outrem ou por conta própria. 

No caso do seguro "standard", o prémio mensal é de 8,5 euros. Este valor é calculado de acordo com um determinado número de factores, nomeadamente o valor do ordenado. Neste caso, o vencimento assumido foi de mil euros. A cobertura abrange 35% da remuneração líquida mensal que foi domiciliada na instituição, no máximo de 500 euros por mês. O prazo do seguro é de um ano, sendo renovável automaticamente por iguais períodos. 

Também o Millennium bcp oferece aos seus clientes uma solução com este objectivo. O Seguro Plano Protecção Vencimento tem como principal vantagem o pagamento, até seis meses por anuidade, de 30% do vencimento do cliente ou de 40% no caso de se tratar de um trabalhador por conta própria. O limite máximo mensal do valor reembolsado é de mil euros. O prémio mensal é calculado de acordo com o vencimento líquido. Para um ordenado de 500 euros, o valor a pagar é de 4,53 euros. 

O reembolso pago por estes seguros é acumulável com as prestações pagas pelo sistema de Segurança Social


 

fonte:http://www.jornaldenegocios.pt/i

publicado por adm às 22:40 | favorito