BCP altera modelo de governação

Os accionistas do BCP vão discutir a alteração do modelo de governação do banco, que terá António Monteiro como presidente do conselho de administração e Nuno Amado da comissão executiva, em assembleia-geral convocada para 28 de Fevereiro.

Na assembleia-geral solicitada, os accionistas Sonangol, Grupo Teixeira Duarte, Grupo Berardo, EDP, Sabadell, Interoceânico e Hipólito Pires pretendem, «a par do reforço dos capitais próprios do banco, dotar a instituição de um modelo de governo adequado aos grandes desafios que se lhe deparam no presente e no futuro, que proporcione maior eficácia e coesão interna, mantendo em nível elevado os mecanismos de auditoria e fiscalização».

Os accionistas defendem a adoçam do chamado «modelo monista» anglo-saxónico, composto por um conselho de administração, compreendendo uma comissão de auditoria e comissão executiva, e a criação de um conselho estratégico internacional, com vista ao desenvolvimento de «uma estratégia de expansão internacional».

O embaixador António Monteiro será o nome proposto para presidir ao conselho de administração e Nuno Amado, que abandonou recentemente a presidência do Santander Totta, à comissão executiva.

Os referidos accionistas propõem que o actual presidente do BCP, Carlos Santos Ferreira, que já tinha anunciado a saída da presidência do banco, assuma a presidência do conselho estratégico internacional.

O Millennium BCP anunciou hoje um prejuízo de 786 milhões de euros no ano passado, acima da média das estimativas dos analistas consultados pela Lusa.

A assembleia-geral de accionistas do BCP vai realizar-se a 28 de Fevereiro, às 15h00, em Oeiras.

fonte:http://www.agenciafinanceira.iol.pt/f

publicado por adm às 23:00 | comentar | favorito