Pensões da banca pagam dívidas dos hospitais

Dinheiro deve começar a chegar aos fornecedores este mês.

A chegada da ‘troika' a Portugal desvendou o número: quase três mil milhões de euros de dívidas do Serviço Nacional de Saúde aos fornecedores. Um valor que fez soar todos os alertas e colocou o pagamento das dívidas no topo das prioridades do ministério liderado por Paulo Macedo.

A transferência dos fundos de pensões dos bancários trouxe parte da solução, ao permitir o pagamento de 1.500 milhões aos hospitais para que estes paguem dívidas vencidas aos fornecedores. Dinheiro que começa a ser pago ainda este mês, mas que só deverá chegar em força em Maio e Junho, admitiuesta semana o ministro Paulo Macedo.

O plano de pagamentos ainda está a ser ultimado pelo Ministério das Finanças, mas os critérios já foram aprovados a semana passada em Conselho de Ministros. Os pagamentos em atraso há mais tempo devem ser pagos em primeiro lugar, os fornecedores que cobrem juros de mora também têm prioridade e o risco de consequências económicas e sociais que possam decorrer da não regularização de pagamentos (como a suspensão de fornecimento de medicamentos) também será tido em conta na altura de decidir quem recebe primeiro. O Diário Económico sabe que a negociação de descontos sobre as dívidas também está em cima da mesa e que é, aliás, uma indicação dada pela ‘troika'.

Em troca da autorização para usar os 1.500 milhões no pagamento das dívidas, os hospitais não podem voltar a acumular novas dívidas. A Lei dos Compromissos - que só permite a realização de despesa se houver dinheiro em caixa para a pagar - já está no terreno, mas a Comissão Europeia, nos documentos divulgados na terça-feira, deixa bem claro que o Governo terá de encontrar uma estratégia para garantir que as dívidas não voltam a acumular-se.

fonte:http://economico.sapo.pt/

publicado por adm às 18:28 | favorito