Corte salarial atinge os 50%

O presidente da comissão executiva do BPI, Fernando Ulrich, recebeu mais de 600 mil euros de ordenado em 2011. Mas poderá ver o seu salário ser reduzido para metade se o banco vier a recorrer ao fundo de recapitalização de 12 mil milhões de euros, previsto no acordo com a troika. 

Fernando Ulrich recebeu pelas suas funções executivas no BPI 468 mil euros de ordenado base, mais 133 mil euros a título de remuneração variável. O detalhe salarial disponibilizado à CMVM, o último dos quatro maiores bancos nacionais a fazê-lo, refere ainda que foi diferido um pagamento adicional de 133 mil euros ainda referente ao exercício de 2011.

Também Ricardo Salgado, presidente do BES, tal como os restantes membros do conselho de administração, viu o pagamento das suas remunerações variáveis referentes a 2011 adiadas para os três anos seguintes. Aliás, este ano nem sequer terá direito à remuneração variável, recebendo 546 mil euros de salário fixo.

Carlos Santos Ferreira, que entretanto foi substituído por Nuno Amado na gestão do BCP, recebeu pela presidência da comissão executiva do banco um pouco mais de 473 mil euros, a que se juntaram mais de 176 mil euros por funções no grupo.

Fernando Faria de Oliveira, que agora ocupa o cargo de presidente do conselho de administração da CGD e que foi substituído na gestão do banco público por José de Matos, foi o mais mal pago.

Todos os administradores poderão, com excepção do da CGD, ver o seu ordenado passar a metade se recorrerem à linha especial de financiamento que o Estado tem disponível.

fonte:http://www.cmjornal.xl.pt/n


publicado por adm às 19:03 | favorito