Queixas contra bancos: 60% dos clientes têm razão

Há mais contraordenações do Banco de Portugal por irregularidades na banca e apesar de as reclamações terem caído, no ano passado, o número de queixas em que o cliente acaba por ter razão aumentou.

Segundo as conclusões do relatório de supervisão comportamental da instituição liderada por Carlos Costa, no caso das reclamações o cliente tem cada vez mais razão.

No ano passado, foram perto de 14.700 as reclamações, menos 3% do que em 2010; mas aumentou o número de queixas em que de facto havia prática de infrações; em cada 100 reclamações 60 clientes tinham razão.

No ranking, do total das reclamações, os bancos estrangeiros a operar em Portugal garantem os lugares cimeiros: BBVA, Caixa de Aforros da Galiza, Santander Totta, Deutsche Bank, Barclays e Banco Popular, seguidos por dois bancos portugueses BPN e Montepio Geral.

No crédito ao consumo, o número de queixas é maior: também no BBVA, no Crediagora, no FCE, no Deutsch Bank, no RCI e na Caixa Leasing e Factoring, do Grupo Caixa Geral de Depósitos.

Quando o assunto se relaciona com cheques, a lista é diferente: as queixas recaem em maior número na Caixa Geral de Depósitos no Barclays, Banif, Banco Popular e no Montepio.

O relatório de supervisão comportamental revela também que o maior número de irregularidades foi encontrado nos preçários nos serviços de pagamento, nomeadamente nas transferências bancárias, nos depósitos e na publicidade.

Onde o problema é mais frequente no caso dos depósitos tem a ver com a publicidade enganosa em que, por exemplo, se destaca uma taxa de juro que apenas corresponde à taxa no final de de depósitos a prazo.

Nas contraordenações, o Banco de Portugal instarou, em 2011, 38 processos, mais 10 do que no ano anterior.

fonte:http://www.agenciafinanceira.iol.pt/f

publicado por adm às 07:54 | favorito