Disparam os pedidos de informação sobre segurança das poupanças

Os pedidos de informação ao Banco de Portugal sobre o fundo de garantia de depósitos e sobre abertura de contas no exterior dispararam em 2011.

Os pedidos de informação ao Banco de Portugal sobre questões relacionadas com a segurança do sistema bancário, da moeda única e das poupanças dispararam em 2011, segundo dados do boletim de supervisão comportamental do Banco de Portugal. As questões enviadas ao supervisor bancário sobre depósitos a prazo subiram para o dobro, com as preocupações e dúvidas mais frequentes a centrarem-se no fundo de garantia de depósitos, na abertura de contas expressas em moeda estrangeira e na abertura de contas no estrangeiro por residentes em Portugal.

Fontes do mercado têm corroborado que existem cada vez mais pessoas a procurarem informações sobre a abertura de contas, principalmente em países nórdicos. Uma alternativa legítima mas que Pedro Lino, CEO da Dif Broker, considera inconsequente já que, "se o euro acabar todos os países sentirão as consequências". Outra das questões que tem preocupado os investidores é uma possível saída da Grécia do euro. Mas também aqui o responsável da Dif Broker questiona: "A Alemanha é tida como o mercado mais seguro. Mas se a Grécia sair do euro o Banco Central Europeu (BCE) terá enormes prejuízos com a dívida grega. E quem é o maior accionista do BCE?".

Um conjunto de questões que, a par com a actual certeza quanto à recapitalização da banca portuguesa, levam Pedro Lino a considerar que, "o risco de colocar o dinheiro fora do país é actualmente superior. Porque a recapitalização da banca permite alguma confiança e conforto aos depositantes".

fonte:http://economico.sapo.pt/

publicado por adm às 23:56 | favorito