Portugueses passam quase 473 mil cheques careca num ano

Os portugueses passaram 472.726 cheques sem provisão em 2011, de acordo com os dados divulgados esta quarta-feira pelo Banco de Portugal (BdP). 

Um valor que, mesmo assim, representa uma queda face aos 490.123 cheques careca registados em 2010.

Os cheques sem provisão continuam a representar a grande fatia dos cheques devolvidos: 74,3 por cento. Seguem-se os cheques revogados - foram passados 38.129 em 2001, menos 7,8 mil face ao ano anterior - e os cheques fora de prazo - totalizaram 28.821, cerca de menos 8,7 mil do que em 2010.

No total, foram devolvidos 636.301, onde se contabiliza também os cheques devolvidos a pedido do banco, por conta bloqueada ou por motivo inválido, representando, mesmo assim, uma queda de 40 mil cheques face a 2010.

No cômputo geral, os cheques devolvidos representam 0,80% do total de cheques emitidos no ano passado, indica o relatório do BdP.

Cheque: instrumento cada vez menos utilizado

A verdade é que os cheques são um método de pagamento cada vez menos utilizado pelos portugueses: foram passados menos 16,7 por cento em 2011, face a 2010, num total de 79,7 milhões de papéis. 

No entanto, o seu valor continua a ter um peso significativo entre os instrumentos de pagamento: de um total de 343,8 mil milhões de euros transacionados através de suporte eletrónico ou de papel, 106,7 mil milhões foram utilizados pelo modo de cheque. Mesmo assim, este valor representa uma queda de 0,8% face a 2010.

Em termos de valor transacionados, o cheque é apenas superado pelas transferências a crédito, que movimentaram 130,3 mil milhões de euros em 2011, mais 9,3 por cento.

Do lado oposto, nota para o recurso ao multibanco feito quase 1,7 mil milhões de vezes, mas apenas a movimentar 88,5 mil milhões de euros. 

Já em débitos diretos foram transacionados 16,9 mil milhões de euros em 2011.

O relatório do Banco de Portugal traduz ainda um forte aumento dos cartões de crédito em Portugal no ano passado.

fonte:http://www.agenciafinanceira.iol.pt/

publicado por adm às 23:03 | comentar | favorito