Lucro do Crédito Agrícola cai 26% para 22,5 milhões

O Crédito Agrícola registou lucros de 22,5 milhões de euros no primeiro semestre do ano, menos 26% que no mesmo período do ano passado, anunciou o banco em comunicado.

O produto bancário da instituição liderada por João Costa Pinto cresceu 6,6% para 234,4 milhões de euros e a margem financeira caiu 0,9% para 169,8 milhões.

O banco destaca ainda a subida de 12,8% no saldo de comissões para 60,4 milhões de euros e o aumento de 15,7% nos resultados de ativos financeiros para 3 milhões de euros.

Os depósitos de clientes melhoraram 118,3 milhões de euros (ou 1,2%) para 9.763,0 milhões e o crédito teve um crescimento de 9,9 milhões (0,1%) para 8.641,0 milhões.

No comunicado, o Crédito Agrícola explica que existe «uma retração na procura de crédito, o que se reflete no modesto crescimento do crédito a clientes, o que o grupo tem procurado compensar com uma diversificação para novos segmentos».

O grupo garante que «não enfrenta assim restrições nem de liquidez, nem de capital», já que o rácio de transformação depósitos/crédito é de 88,5% (a meta era reduzir para 120% em 2014) e que o rácio de capital core tier 1 é superior a 12% (acima das exigências do Banco de Portugal e da Autoridade Bancária Europeia até ao fim do ano), o que lhe dá «margem de manobra para a normal prossecução da atividade creditícia».

O crédito vencido fixou-se em 6,7%, o que levou a um aumento das provisões para crédito de 26,9%. Com isto, «a cobertura do crédito vencido por provisões é de 113%, nível superior ao que se verificava antes da atual crise (108,9% em dezembro de 2007)».

fonte:http://www.agenciafinanceira.iol.pt

publicado por adm às 22:21 | comentar | favorito