La Caixa reforça posição no BPI para 46%

O banco espanhol La Caixa reforçou a posição no BPI para 46,22 por cento na sequência do aumento de capital, mantendo-se a holding angolana Santoro como segundo maior acionista com 19,47 por cento, divulgou esta sexta-feira o BPI.

Segundo o comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) pelo banco, o espanhol CaixaBank (holding do La Caixa) subscreveu 251,0 milhões de ações no aumento de capital passando a ser dono de 46,22 por cento do capital do BPI, acima dos 39,5 por cento detidos antes da operação.

Em nota ao regulador espanhol, o CaixaBank disse hoje que investiu 125,5 milhões de euros neste aumento de capital.

Já a holding Santoro subscreveu 78,2 milhões de ações. A empresa angolana controlada por Isabel dos Santos detém agora 19,47 por cento das ações do banco, pouco acima dos 19,43 por cento detidos antes do aumento de capital.

A compra de ações pela holding angolana nesta operação serviu sobretudo o objetivo de manter a sua posição no banco de segundo maior acionista, que detinha desde julho, quando comprou parte da posição que o CaixaBank tinha adquirido os brasileiros do Itaú.

CaixaBank e Santoro subscreveram, assim, mais de 80 por cento das ações emitidas neste aumento de capital, em que foram emitidas 400 milhões de ações a 0,50 euros cada.

A alemã Allianz, terceira acionista do BPI, também foi a este aumento de capital e comprou 35,5 milhões de ações, também no intuito de manter a sua participação, de 8,8 por cento.

Como já tinha afirmado na imprensa, a portuguesa HVF, da família Violas, não foi ao aumento de capital e desceu, assim, a sua participação no BPI para 2,15 por cento.

Este aumento de capital insere-se no plano de recapitalização do BPI.

Os 200 milhões de euros conseguidos com esta operação vão ser entregues ao Estado para amortizar parte do empréstimo concedido ao abrigo da linha da troika para o setor financeiro de 1.500 milhões de euros em instrumentos híbridos (obrigações convertíveis em ações em determinadas condições, designadas CoCos).

Com esta recapitalização, o BPI cumpre as exigências tanto da Autoridade Bancária Europeia como do Banco de Portugal.

A liquidação financeira das novas ações foi feita esta semana, pelo que entram segunda-feira em negociação na bolsa de Lisboa.

O BPI teve esta semana um desempenho positivo no PSI20 e na quarta-feira subiu mesmo mais de três por cento. A sessão de hoje foi a exceção, com as ações do banco a desvalorizarem 0,55 por cento para 0,54 euros.

O banco liderado por Fernando Ulrich apresentou lucros de 85,1 milhões de euros no primeiro semestre, mais 7,5 por cento do que no período homólogo de 2011.

fonte:http://www.agenciafinanceira.iol.pt/

publicado por adm às 08:26 | comentar | favorito
tags: