Banco CTT abre portas ao público a 18 de Março

O Banco CTT vai abrir as portas ao público no próximo dia 18 de Março, informaram os CTT em comunicado.
Na fase de arranque, haverá "52 lojas espalhadas pelos 18 distritos de Portugal" com balcões do Banco CTT, que também terá "uma forte presença nos canais digitais, através da disponibilização da 'app' Banco CTT, disponível para IOS [Apple] e Android e do serviço de 'homebanking'", detalha a empresa liderada por Francisco Lacerda.
As operações do Banco CTT, liderado por Luís Pereira Coutinho, deram o pontapé de saída no dia 27 de Novembro do ano passado, numa operação limitada aos funcionários dos Correios.
Agora, os CTT estimam "que o Banco quadruplique a sua rede ultrapassando as 200 agências este ano e, nos próximos três anos se afirme como uma das maiores redes bancárias do país".
"Nesse sentido, as Lojas CTT têm vindo a ser convertidas durante os últimos meses com novos equipamentos e sinalização. No mesmo período, foi efectuado um rigoroso e intenso processo de formação dos colaboradores das Lojas CTT, em articulação com o Instituto de Formação Bancária", relembra a empresa no mesmo documento.
De acordo com as estimativas apresentadas aos analistas, no âmbito do Markets Day 2015, até 2018, a instituição espera captar até 475 mil clientes no segmento de contas à ordem, um número que segundo as estimativas dos CTT aumentará 6% até 2020 para perto de 750 mil.
Nos depósitos, os CTT admitem não vir a ter uma quota de mercado tão elevada: até 4% em 2025. Até 2018 prevêem captar 1,5 mil milhões de euros em depósitos e daqui a cinco anos 3 mil milhões. No total, os CTT esperam alcançar receitas até 100 milhões de euros daqui a cinco anos e atingir o "break-even" em 2018, excluindo os custos partilhados com os CTT.
Para Francisco Lacerda, presidente e CEO dos CTT, a abertura dos balcões do Banco CTT ao público "marca o reforço de uma das mais fortes vocações dos CTT: o relacionamento muito próximo e de utilidade e conveniência que sempre teve com os portugueses. Os clientes do Banco CTT irão encontrar neste banco clareza, simplicidade e disponibilidade. É um banco para todos. Para mim, como para a equipa que lidero, este será o início de uma história que se quer diferenciadora e sólida", acrescentou.
O processo da criação do banco postal pelos CTT é antigo, tendo o primeiro projecto sido apresentado em 2001, e já contou com dois parceiros: a CGD e o Banif. Desta última vez, o grupo liderado por Francisco Lacerda optou por avançar sozinho.
Aos balcões do Banco CTT vai ser possível abrir contas, aceder a créditos ao consumo e à habitação e também a seguros de vida ou de saúde, por exemplo.
Mas há produtos financeiros que não vão transitar para o banco dos Correios, como os certificados de aforro, certificados do tesouro e vales postais, como detalhou recentemente Francisco Lacerda.
A lista completa dos produtos do Banco CTT será divulgada "m breve", segundo os CTT.

fonte:http://www.sabado.pt/u

publicado por adm às 21:11 | favorito
tags: