CTT concluem autorizações regulatórias para arrancar com banco

Correios Banco CTT deve ser lançado já no próximo mês, deixando para trás interesse no ActivoBank do BCP.

Os CTT avançaram mais um passo para o lançamento do Banco CTT, que será liderado por Luís Pereira Coutinho. O Banco de Portugal concedeu o registo especial para actividade bancária, o que permitirá iniciar a actividade dentro do calendário previsto, ou seja, até ao final do ano.

"Este era o último passo do ponto de vista regulatório", explicou ao Diário Económico Francisco Lacerda, presidente dos CTT. "Estamos a finalizar o que é necessário e as questões regulatórias e informáticas que é preciso afinar", acrescentou, frisando que esta autorização do supervisor permite cumprir o calendário que foi oficialmente anunciado.

O Banco CTT vai avançar, em regime de ‘soft opening', até ao final do ano e a abertura comercial será no primeiro trimestre do próximo ano, explicou Francisco Lacerda, não avançando, contudo, em quantas lojas arrancará este projecto.
"A data de início de actividade ainda não foi definida, sendo oportunamente comunicada ao Banco de Portugal e ao mercado", segundo o comunicado divulgado na CMVM. Ao que apurou o Económico a abertura dos primeiros balcões ocorrerá já no próximo mês. Ainda há alguns passos necessários para concluir, explica Lacerda, nomeadamente ao nível do "sistema informático, que é fundamental. Já temos muita formação feita mas continuaremos a fazê-lo e, mais perto da data de abertura, arrancaremos com as obras".

"Temos trabalhado em muito boa colaboração com o Banco de Portugal", garantiu o presidente dos CTT. "Toda a documentação já foi analisada e foi feita uma verificação no local dos sistemas informáticos e das acções de formação", explicou.
Com as autorizações em ordem e o trabalho de preparação praticamente concluído os CTT abandonam o interesse no ActivoBank, banco digital do Millennium BCP e para onde os Correios estiveram a olhar. Contudo, o processo sofreu vários avanços e recuos e a demora do banco de Nuno Amado em decidir se vendia ou não o activo acabou por esfriar o interesse dos Correios, como noticiou o Económico. Os CTT acabaram por avançar sozinhos e não é certo que o BCP vá mesmo vender o ActivoBank.

Os CTT vão investir cerca de 100 milhões de euros no Banco CTT em cinco anos e este ano já gastaram cerca de 20 milhões de euros. Serão vendidos produtos bancários simples, reforçando a componente de serviços financeiros que o CTT já tem. Este segmento cresceu 18,2% no primeiro semestre relativamente ao primeiro semestre de 2014, para 41,9 milhões de euros, representando já 11% do total das receitas. A melhoria foi impulsionada sobretudo pela venda de certificados de aforro.

Além dos serviços financeiros os CTT esperam concluir uma parceria na área de seguros com uma grande seguradora até ao final do ano, como já noticiou o Económico.

fonte:http://economico.sapo.pt/

publicado por adm às 11:19 | favorito
tags: