Mais de 4.000 trabalhadores deixaram principais bancos

BCP, BPI e Caixa lideraram as saídas entre 2011 e 2013, de acordo com dados divulgados pelas instituições.

Mais de quatro mil trabalhadores saíram dos principais bancos nos últimos três anos, período em que o sector acumulou prejuízos. Desses quatro mil, 1.200 saíram em 2013, segundo contas feitas pela Lusa a partir da informação divulgada pelas instituições.

O maior número de saídas entre 2011 e 2013 aconteceu no BCP (menos 1562 postos de trabalho em Portugal, mais de mil dos quais em 2012). O acordo feito com Bruxelas prevê que o banco reduza ainda mais de 1.000 trabalhadores até 2017, atingindo então 7.500 colaboradores, número que pode ser menor, em função dos cortes salariais em negociação com os sindicatos.

No mesmo período, o BPI registou 1.182 saídas, fechando 2013 com 6.274 funcionários. O banco terá de reduzir mais 274 até final de 2015 para cumprir o mesmo acordo com Bruxelas, que prevê 6.000 colaboradores em Portugal. 

A maior parte das saídas na Caixa Geral de Depósitos aconteceu no ano passado - 500 trabalhadores - levando a 893 saídas em três anos e a 9.892 funcionários no final do ano passado.

Santander Totta e BES registaram em conjunto quase 500 saídas no triénio, ficando respectivamente com 7.371 trabalhadores e 5.453 funcionários em 2013. A estes há que juntar mais 1000 colaboradores que saíram do Banif e do Barclays (400 neste caso, que está a reestruturar a sua operação em Portugal).

Saídas em período de prejuízos históricos

A saída de milhares de trabalhadores da banca, que acompanha também o fecho de centenas de balcões, acontece em três anos muito negativos, durante os quais foram registados prejuízos históricos.

Em 2011, apenas o Santander Totta teve lucros, com os restantes quatro maiores bancos a operarem em Portugal a registarem prejuízos acumulados de 1.587 milhões de euros. Já em 2012, além do Totta, também o BES e o BPI tiveram resultados positivos, mas insuficientes para evitarem que o setor fechasse no 'vermelho' perante os prejuízos de 1.219 milhões de euros do BCP e as perdas de 395 milhões de euros da Caixa.

Por fim, em 2013, o BES regressou a resultados negativos (517,6 milhões de euros), juntando-se à CGD (575,8 milhões de euros) e ao BCP (740 milhões de euros). Já BPI e Santander Totta tiveram lucros, de 66,8 milhões de euros e 102 milhões de euros, respetivamente.

 

fonte:http://economico.sapo.pt/n

publicado por adm às 22:21 | favorito